Tão pequenina, tão grande

Quando saí da barriga da minha mãe, era muito pequenina, mas tudo o que fazia era em grande.

Tão pequenina e mudei tudo à minha volta: os horários lá de casa, as rotinas, as saídas com os meus pais para apanhar a luz fresca da rua.

Era minúscula, mas capaz de mudanças dignas de gigante. Os meus pais espantavam-se. Como é que eu podia ser tão pequenina se lhes fazia sentir um amor tão desmedido?

E tu? Também és assim tão pequenina, tão pequenino, tão grande?


À venda nas livrarias e no nosso site >>



8 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo